Apple Watch

Veja o vídeo e aprenda sobre este novo tipo de aparelho: o design, as funções, e muito mais. Apple Watch

Nexus 5 - 3. Velocidade Sem-Fios

Postado por: Tecnologia Brasil - 23:57
Para alguns usuários, o mais importante é a velocidade do processador do aparelho celular, mas para outras pessoas, a velocidade do chip de internet móvel reina absoluta na lista de exigências.

Enquanto o Nexus 4 suportava redes de 2.4 e 5GHz nos padrões a/b/g/n, nesta última o aparelho só funcionava em alguns canais dos vários disponíveis em roteadores sem-fio. No Nexus 5, a LG atualizou o chip e agora podemos nos conectar em redes de 2.4 e 5GHz nos padrões a/b/g/n/ac, sem limites de canais. Além disso, o dispositivo já conta com o chip LTE habilitado, pronto para ser utilizado com o cartão SIM 4G+plano 4G da operadora da preferência do usuário.

Gostaríamos de testar a performance em 4G do aparelho, porém a operadora que utilizamos exige que nosso plano seja cancelado e que assinemos um novo contrato, algo que não iremos fazer, já que nosso contrato atual nos fornece internet ilimitada, enquanto os novos planos possuem limites que variam de 1 a 8GB por mês.

Nesse post irei mostrar para você a performance do Nexus 5 na rede Wi-Fi de 5GHz do padrão N. Possuímos uma linha de internet via TV à cabo de 120Mbps de taxa de Download e 10Mbps de taxa de Upload. Em um notebook MacBook Pro com Wi-Fi de tecnologia N de 5GHz, conseguimos usar toda a capacidade da conexão através de um roteador Apple Airport Extreme N (5ª geração).

Como se sai o Nexus 5? Veja a imagem.

Resultado do teste feito no Nexus 5 pelo site Speedtest.net

Acreditamos que a imagem acima dispensa comentários, mas vamos comentar assim mesmo, pois somos teimosos! O aparelho conseguiu atingir 87.75% da conexão de 120Mbps, e ultrapassou a taxa de upload de 10Mbps (o que normalmente também ocorre no notebook, já que o provedor sempre deixa a conexão um pouco mais rápida do que pagamos). Testamos um modelo recém-lançado de um aparelho da mesma marca do notebook e do roteador, e ele só conseguiu atingir ±70Mbps de Download, porém uma boa taxa de Upload, como no Nexus 5. Depois de vermos esse resultado (que não vamos postar para evitar que o ódio alheio transforme isso em uma arena de lutas já perdidas) podemos afirmar que o Nexus 5 vai atender todas as necessidades de usuários que procuram um aparelho competente no quesito de conectividade. Com Bluetooth 4.0, NFC, Wi-FI até AC, e um chip LTE que suporta velocidades de até 150Mbps de Download, o aparelho é, sem sombra de dúvidas, o melhor da categoria.

Gostamos sempre de ressaltar o custo-benefício da linha Nexus e nesse post faremos o mesmo, pois o aparelho possui capacidade para suportar conexões de altíssima velocidade tanto no modo WiFi quanto no modo LTE (4G), sem furar os bolsos do usuário.

Como não elogiar um aparelho que nos deixa usar praticamente toda nossa conexão de internet de alta velocidade por metade do preço de outros que só atingem 58% de performance na taxa de Download? Usuários, sejam bem-vindos ao mundo do Nexus 5, onde marketing enganoso não faz parte da experiência. Seja bem-vindo a um mundo onde a vida real, e não um comercial, prova que o produto é o líder da categoria em questões de qualidade. Alguns fabricantes precisam de humildade pra aprenderem a oferecer ao usuário um preço justo com performance adequada às necessidades de hoje, eles só precisam olhar para o Nexus 5 para enxergarem como isso pode ser feito.

Você Reconhece a AuthenTec? Ela Reconhece Você!

Postado por: Tecnologia Brasil - 21:06
O TouchID sabe quem você é, mas você sabe algo sobre ele? Quem o inventou? Quem respondeu Apple, errou.

Sensor biométrico TouchID, inventado pela AuthenTec, comprado pela Apple em 2012.


Sabemos que a Apple faz comerciais excelentes, que convencem muitas pessoas a comprarem seus produtos, e que a maior inovação da empresa é na verdade isso, mostrar tecnologias velhas de uma forma nova, fazendo com que os usuários passem a utilizar tais funções. No caso do TouchID, foi exatamente isso que ela fez. E quem é a AuthenTec, você pode estar se perguntando, já que o título desse post afirma que ela conhece você? Esta empresa foi fundada em 1998, e produz produtos de autenticação biométrica, como leitores de impressões digitais. Para bom entendedor, meia palavra basta! Claro, o "TouchID" foi uma invenção da AuthenTec, que licenciou a tecnologia para outros fabricantes há muito tempo atrás.

Um exemplo disso foi o aparelho Motorola Atrix, lançado em 2011, que possui um sensor de reconhecimento de impressões digitais da empresa. O Atrix reconhece suas digitais da mesma maneira que o TouchID as reconhece, e melhor ainda, ele reconhece suas digitais quando seus dedos estão molhados, algo que têm sido um problema para certos usuários do iPhone 5S que geralmente suam em ambientes quentes. Será que a Apple vai vender lencinhos para os usuários secarem as mãos? Piadas à parte, a AuthenTec foi comprada pela Apple em 2012, e a empresa prontamente instalou o sensor em seu novo aparelho.

Motorola Atrix 4G com sensor biométrico da AuthenTec (2011)


Porque ninguém parece saber sobre o sensor biométrico do Atrix, fabricado pela mesma empresa que a Apple comprou? Poderíamos dizer que por falta de Marketing, já que a AuthenTec produzia sensores para vários fabricantes diferentes e não fazia sentido criar comerciais para algo que poderia ser instalado em qualquer tipo de aparelho. Agora que nossa empresa de propagandas favorita possui a tecnologia inventada pela AuthenTec, faz sentido fazer comerciais para seus aparelhos que usam a tecnologia (somente um, no momento), já que ninguém poderá usar o TouchID em outros aparelhos.

Felizmente, a tecnologia da AuthenTec funciona muito bem, mas infelizmente não estará disponível em outros dispositivos, e digo infelizmente não só por não poder ser instalada em aparelhos de outras marcas, mas também por não podermos fazer nada mais além de desbloquear a tela e fazer compras na App Store.

Torço para que nossa querida Samsung copie a tecnologia da AuthenTec e a venda para outros fabricantes, pois as possibilidades apresentadas no Atrix de 2011 seriam muito maiores hoje em dia com aparelhos mais potentes e com o sistema operacional mais avançado. Vale a pena lembrar que quando as empresas copiam, quem ganha é o consumidor!


Nexus 5 - 2. Câmera - Vídeo

Postado por: Tecnologia Brasil - 19:29
Com a ascensão dos smartphones e melhorias na fabricação de sensores fotográficos, hoje em dia carregar uma câmera compacta não faz sentido, já que praticamente todos os aparelhos celulares de última geração oferecem funções de fotografia e filmagem satisfatórias.

O Nexus 5 possui duas câmeras, sendo uma delas de 8PM com flash LED e a outra, de 1.3MP sem flash. A primeira fica na parte traseira do aparelho, com o flash logo abaixo. A câmera traseira possui estabilização ótica, que teoricamente ajuda o aparelho a produzir imagens ou filmes sem muitos borrões. Esta câmera também possui autofoco. Já a câmera dianteira é simples, pois geralmente só é utilizada para chamadas de vídeo por Hangouts ou Skype, por exemplo. Sem flash, a câmera frontal geralmente funciona bem com o brilho produzido pela tela e refletido na face do usuário.

Durante condições de iluminação boa, geralmente em ambientes abertos e iluminados pelo sol, a qualidade das fotos é muito boa quando levamos em consideração o preço do aparelho. Aliado à estabilização ótica, o autofoco consegue deixar as fotos nítidas na maioria das situações, porém quando o objeto está em movimento rápido, por exemplo andando de bicicleta, a câmera do Nexus 5 peca na hora de reconhecer o que o usuário está querendo fotografar, e por isso em alguns casos as fotos saem borradas. Para retratos programados, ou seja, aqueles onde os objetos param para serem fotografados, a qualidade é geralmente excelente para padrões de smartphone. Durante à noite, a estabilização ótica ajuda um pouco, mas não faz milagres. O sensor acaba não capturando muitos detalhes, e o nível de ruído é bem visível.

Em questões de filmagem, o aparelho grava em resoluções de até 1080p, e no vídeo de exemplo abaixo, usou bitrate de 17Mbps a quase 20fps. O áudio utilizado no vídeo foi do codec AAC à taxa de 48KHz, com bitrate de 96Kbps. O aúdio capturado não foi em estéreo.

No modo de fotografia, as opções oferecidas pelo aplicativo padrão de câmera instalado no Android 4.4 oferecem as seguintes opções: HDR+, ajuste de exposição, flash ligado, desligado e automático, gravação do local com o GPS, timer, tamanho do arquivo (desde resolução QVGA até 8MP), balanço de branco, e modo de cenas (ação, noite, pôr do sol, e festa). A câmera frontal oferece menos ajustes, sendo eles a exposição, GPS, timer, tamanho (desde QVGA até 1.3MP), balanço de branco, e cenas (as mesmas da câmera traseira). A câmera também permite tirar fotos em panorama, que funciona relativamente bem, e em "photo sphere", sendo um panorama em 360º que não funciona muito bem em ambientes pequenos.

Já no modo de filmagem, as opções são as seguintes: balanço de branco, "time lapse" que forma um vídeo em um período de no máximo 24 horas tirando várias fotos e agregando-as uma após a outra, qualidade do vídeo (480p, 720p e 1080p), e GPS, além de usar o flash ou não no modo de filmagem. A câmera frontal grava em 480p ou 720p, e permite mudar somente o balanço de branco, além de oferecer o time lapse e GPS.

Para a maioria dos usuários, o mais importante é saber dos pontos fracos da câmera do aparelho, por isso não iremos postar fotos ou vídeos que consideramos bons, já que achamos que vendo um vídeo que consideramos ruim, o usuário irá decidir se a câmera atende suas necessidades a partir deste nível. O que incomoda são os problemas, por isso se os problemas não forem percebidos como grandes pelos usuários, eles saberão se o aparelho é bom para atender suas necessidades, ou não.

Acreditamos que se você conseguir conviver com a qualidade mostrada nessa situação, ela irá melhorar consideravelmente em outras situações diferentes onde a iluminação do ambiente for melhor. O que queremos dizer é que no nosso vídeo de exemplo, que dura mais ou menos 14 minutos, filmamos uma viagem de carro em uma rodovia a 100Km/h mais ou menos à 1hr da madrugada. Consideramos que a estabilização ótica ajudou o aparelho a não embaçar mais do que já havia embaçado na filmagem, pois sem a estabilização o resultado seria muito pior. Se nessa situação difícil o aparelho apresentou tal resultado, consideramos que em um ambiente melhor, por exemplo em uma sala bem iluminada, a qualidade de filmagem vai melhorar.

Nossa idéia é que vendo a situação mostrada no vídeo e analisando se a qualidade é boa ou não, você vai poder entender que em situações melhores, a qualidade também vai ser melhor, porém é impossível esperar por milagres quando o aparelho em si custa metade do preço de outros, além de possuir pontos fortíssimos em outras áreas que iremos discutir em breve.

Nexus 5 - 1. Experiência

Postado por: Tecnologia Brasil - 17:16
Esse post é o primeiro da série de análises do Nexus 5. Nele, falaremos primeiro sobre a experiência do aparelho. Experiência refere-se ao uso diário, em questão de fluidez e flexibilidade de uso.

Quem se lembra do primeiro brigadeiro lotado de chocolate que comeu? As aparências revelam um pouco, a gente olha pro brigadeiro mas não sabe o que é, até encostá-lo na língua. Para saber se é bom de verdade, somente experimentando algo. Com isso em mente, quis usar o Nexus 5 para poder comentar sobre o aparelho em seus próprios méritos, sem nenhum tipo de parcialidade proveniente do uso do excelentíssimo Nexus 4. Aliás, para quem está visitando e não me acompanha (vergonha, vergonha!), deve ficar informado que sou usuário do Nexus 4, e antes disso, era usuário do iPhone.

O Google sempre deixou claro que aparelhos da linha Nexus receberiam atualizações em ponto, assim que fossem lançadas. Vemos nestas semanas que a promessa foi cumprida: O Nexus 4, Nexus 7 e Nexus 10 receberam a atualização 4.4 (KitKat), porém alguns usuários ficaram chateados por não terem o launcher, ou a interface em outras palavras, que foi instalado no Nexus 5. Para quem recebeu a atualização do KitKat e não tem o launcher, mas gostaria de ter, entre na página do Facebook e baixe o arquivo anexado no post referente à esse assunto.

Em questão de interface no Nexus 5, o Google permaneceu com a Holo UI introduzida na versão Ice Cream Sandwich, complementando-a com o Google Experience Launcher (chamado de GEL a partir de aqui). O GEL é o novo gerenciador de aplicativos e telas do KitKat. Com ícones maiores e mais bem definidos, integração com o Google Now, e possibilidade de ativar o Google Now simplesmente dizendo "Ok, Google" (disponível em Inglês dos EUA), a interface que a gente vê quando liga o aparelho é bem mais refinada. Com o uso de transparências, a tela do aparelho parece bem maior do que realmente é.

Agora, aplicativos programados corretamente para tirar proveito de novas funções oferecidas pelo sistema, podem esconder as barras de notificações e comandos para exibir conteúdo em tela cheia, bastando o usuário dar um toque na tela para que as barras apareçam novamente. Uma solução inteligente e descomplicada, para dar ao Nexus 5 um ar moderno, sem botões físicos desnecessários na frente do aparelho. Sistemas operacionais de toque tentaram acabar com botões físicos para digitar textos, desenhando o teclado na própria tela do aparelho, e agora o Google acabou de vez com a tecnologia do passado, fazendo com que os botões de controle só estejam disponíveis quando faz sentido vê-los. O conteúdo agora é rei, e a versão KitKat faz questão de deixar isso claro.

Em vídeos os controles somem e a tela fica totalmente limpa para o deleite do usuário.
Deixando quesitos técnicos de lado - discutiremos isso em outro post da série de análise do Nexus 5 - o aparelho não roda... ele voa. Programas abrem instantaneamente, rolagem de páginas não apresentam nenhum tipo de lag ou travamento, a bateria dura mais, já que o sistema é bem mais eficiente em questão de gerenciar a capacidade computacional do aparelho. Novas funções como o agregamento de dados de sensores ajudam o Nexus 5 a dedicar toda a potência oferecida pelo processador e placa gráfica para executar programas com rapidez imensa, ao invés de perderem tempo com fornecimento de dados repetitivos. Digitar no teclado é fluido, rodar aplicativos em alta resolucão sem sentir lentidão é perfeito, uma experiência que outros fabricantes deveriam imitar.

Concluindo, a experiência de uso do aparelho é perfeita em questão de Android, e ousamos dizer que é melhor que aparelhos de outras marcas e sistemas. Oferecer um sistema aberto que permite ao usuário fazer modificações, instalar programas de qualquer fonte e sem travamentos é algo difícil e trabalhoso, por isso como poderíamos não recomendar algo que faz tudo isso sem problemas? Uma das coisas que nos mostram quando um sistema é bom, é quando o usuário não precisa pensar sobre como o celular faz ou não faz algo, o que faz um sistema ser bom é simplesmente quando ele funciona da maneira que quem o usa quer fazê-lo funcionar, por isso em questão de experiência do usuário com o Nexus 5 e a versão KitKat do Android, a dupla é imbatível no momento.

Copyright © 2013 Tecnologia™ todos os direitos reservados, cópia não autorizada sem autorização.

Designed by Templateism. Hosted on Blogger Platform.